Sala de Espera

  • Atomic Garden
    Idade: 19
    Lugar: Chapecó, SC.
    Condição: Frescura.
  • Lipedal
    Idade: 19
    Lugar: Santo Ângelo, RS, no meio da roça missioneira.
    Condição: Demofobia e Nerdice Aguda. Foi ao Mundo Real duas vezes, durante as quais ganhou uns graus de miopia devido à exposição ao sol.
  • Vexille
    Idade: 20
    Lugar: Recife, PE. É o único do consultório que mora numa cidade de verdade.
    Condição: Psicose e Esquizofrenia. Obsessão compulsiva por filmes clássicos de terror brutal e trash em geral.

Links

Últimos Posts

Arquivo

Grande, Chata e Sem Graça Aventura do Atomic no Mundo Real - Parte 2

Por yusanã || 20:41:00 || 23 de jun de 2006
Certo, vamos pular as partes realmente chatas. Eu acho que vocês estão realmente cansados de ler sobre chatas viagens de ônibus e como elas são definitivamente chatas. Acho que usei a palavra 'chatas' muitas vezes, vai ficar um parágrafo chato de ler.

Capítulo 2 - Do porquê o Atomic Continuar Solteiro

Muitas horas mais tarde, estava eu novamente num ônibus, dessa vez ouvindo Ayreon - The Human Equation num volume consideravelmente alto, quando ouço alguém me chamando ao fundo:

- Ei, psiu, me diz uma coisa: Você gosta de mulher?

Ok, pára tudo. Vamos entender a situação: eu estou sentado sozinho num banco de um ônibus em direção a São José dos Campos, dentro do ônibus estão meus outros dois amigos há muito conhecidos, os dois técnicos de xadrez de Guaíra e mais umas oito meninas que eu acabara de ver pela primeira vez, que faziam parte da equipe feminina de lá. O silêncio toma conta do recinto e todos me olham esperando pela maldita resposta.

Agora, pensem comigo: a primeira vez que você dirige a palavra a uma pessoa desconhecida um pouco de educação e discrição é essencial. Normalmente, trocam-se cumprimentos e falam-se os nomes, para depois a conversa fluir naturalmente a outros assuntos. Ou eu não saio ao mundo real há tanto tempo assim que as apresentações mudaram?

Eu não tenho a menor idéia se aquilo foi uma cantada ou uma brincadeirinha da oitava série que a menina tinha aprendido semana passada durante recreio, mas a primeira frase que aquela moça falou para mim foi realmente "Você gosta de mulher?".

Eu poderia pensar em milhares de resposta para uma pergunta tão vaga como essa. Na verdade, eu poderia divagar por uma madrugada inteira acompanhado de café preto, Júpiter Maçã e uma barra de chocolate Hershey's. Eu poderia,também, ter resolvido o impasse de toda aquela gente com um simples sim ou não. Eu poderia ter pedido onde ela queria chegar com aquela pergunta e tentar mudar o rumo da conversa para algo mais civilizado. Eu poderia abrir o zíper da minha calça, tirar A PIROCA e bater na cara da vagabunda até ela gritar "chega".

Porém, o fato é que eu tinha acabado de sair de uma viagem extremamente cansativa de quase um dia inteiro e o que eu menos precisava naquele momento era de uma guria chata não me deixando dormir. Reuni a pouca força que ainda restava no meu corpo sonolento, tirei os dois fones dos ouvidos, olhei nos olhos da garota e respondi:

- O QUE CARALHINHOS VOADORES TU TENS A VER COM ISSO? VAI CUIDAR DA TUA VIDA QUE JÁ É UMA BOSTA E NÃO ME ENCHA MAIS O SACO, ENTENDEU?


Pronto. Foi mais do que suficiente para causar espanto em todas aquelas menininhas pentelhas que porventura incomodariam-me mais tarde. Antes de recolocar os fones e fechar os olhos para tentar dormir ainda consegui ver as diferentes reações dos presentes, acho até que vi uma lágrima escorrendo no canto esquerdo do olho direito da coitada. Ninguém mandou perguntar-me um absurdo desses às 8 horas da manhã depois de eu ter passado a noite em claro.

Mais tarde, quando paramos pela primeira vez, meu técnico veio me repreender dizendo que eu "fui grosso e peguei pesado com a menina". Grosseiro, eu? Sim, com orgulho. É uma das qualidades que eu mais admiro em mim mesmo e uma das mais divertidas também. Da próxma vez que ela quiser conhecer alguém vai começar com um "oi", eu espero.

Marcadores:


Poderizado por Blogger . Haloscan . HTML . CSS . RSS .