Sala de Espera

  • Atomic Garden
    Idade: 19
    Lugar: Chapecó, SC.
    Condição: Frescura.
  • Lipedal
    Idade: 19
    Lugar: Santo Ângelo, RS, no meio da roça missioneira.
    Condição: Demofobia e Nerdice Aguda. Foi ao Mundo Real duas vezes, durante as quais ganhou uns graus de miopia devido à exposição ao sol.
  • Vexille
    Idade: 20
    Lugar: Recife, PE. É o único do consultório que mora numa cidade de verdade.
    Condição: Psicose e Esquizofrenia. Obsessão compulsiva por filmes clássicos de terror brutal e trash em geral.

Links

Últimos Posts

Arquivo

Oh, que terror!

Por Lipedal || 00:48:00 || 23 de abr de 2006
Ao que me parece, Xile viajou sem deixar recado nem nada assim, então teremos que nos contentar com um tapa-furo no lugar do super-hiper-post que ele tava preparando. Paciência.

Ontem fiz uma sessão de filmes na casa de um amigo, como manda o Item 2 do Guia das Férias Prolongadas. Resolvemos variar e pegar um filme de ação juntamente com os tradicionais terror e comédia. Os filmes foram 13º Distrito, francês, que vale pelas cenas fodásticas de Parkour; Terra dos Mortos, terror trash de George Romero, com zumbis e tal; e Ilha do Pânico, o filme de comédia que foi o que mais deu medo dos três.

Conversando com um amigo sobre os diferentes tipos de filme de terror, chegamos a algumas conclusões que provavelmente todo mundo já chegou, mas eu só me liguei ontem.

1- Os filmes japoneses (ou com roteiro japonês) geralmente envolvem espíritos, garotas mortas e coisas bizarras como uma água negra, um fantasma que sai da TV ou um tufo de cabelo descendo pelo canto da sala. Creio que isso se deve ao fato dos japoneses serem mais místicos, acreditarem nessa coisa de espíritos que voltam e tudo o mais, ao passo que...

2- Os filmes americanos não têm tanto misticismo, e sim psicopatas doidões que gostam de dilacerar jovens chapados por puro prazer. Há a variável "assassino pseudo-moralista que foi vítima de chacota na sociedade e/ou tem um câncer mortal e quer dar uma lição de vida para os jovens chapados, o que no fim acaba sendo uma tentativa tonga de colocar uma moral em um filme de terror com mortes bizarras", mas dá na mesma. Tudo fruto de uma sociedade torta controlada pelo medo, que quer colocar na cabeça de seus cidadãos que em toda floresta reside um maluco com um facão. Então compre tudo o que você quer agora e viva a vida, afinal em qualquer esquina pode haver um maníaco te esperando. Mas não é só de serial killers que vive o terror americano, há também...

3- Os filmes de zumbi. O terror se aproxima, eles são cada vez mais, eles não falam sua língua mas representam um perigo iminente para a cidade, para o país, ou quem sabe para o mundo! Provavelmente a idéia surgiu com o medo dos comunistas, mas e agora? Imigrantes ilegais? Mexicanos? Vai saber o que se passa na cabeça de um cineasta gringo, ou de um blogueiro brasileiro paranóico.

Em decorrência dos fatores acima, pode-se chegar à conclusão que filmes japoneses assustam, enquanto os americanos são um amontoado de tripas e ketchup distribuídos aleatoriamente da forma mais bizarra possível. Xile me falou de um filme tailandês, "Espíritos - A morte está ao seu lado", muito assustador de acordo com ele. Tenho que ver esse aí uma hora dessas. Enquanto isso penso em um roteiro de filme de terror que saia dos clichês garota morta/psicopata incompreendido/zumbis à solta. Talvez uma espécie de terror psicológico... Esses dias tive a chamada Paralisia do Sono pela terceira ou quarta vez e, lendo depoimentos sobre esse distúrbio, me veio à mente uma idéia pra filme de terror.


"A paralisia do sono corresponde a um estado não usual de consciência no qual atingimos lucidamente o limiar entre a vigília e o sonho. Em outras palavras: nossa consciência se encontra em um ponto limítrofe entre o mundo vígil e o mundo onírico."

Um homem acorda em uma cama rústica, no meio de um quarto igualmente rústico, sem fazer a mínima idéia do porquê de estar lá. Ao seu lado, um triciclo e alguns Comandos em Ação. Uma velha aparece à porta do quarto, mas em um piscar de olhos a imagem se dissolve e dá lugar a um pôster na porta. O homem limpa a testa, suja de sangue, que dói como se tivesse recebido uma pancada há pouco.

Ele se levanta e vê fotos na cômoda, todas em preto-e-branco. Há um retrato de um homem beijando uma moça, ao lado de um garoto banguela. O espelho lhe diz que o cara da foto é ele próprio, e então flashes de memória lhe vêm à mente. Ele fecha os olhos e lembra de um menino feio e gordo lhe acordando no meio da noite, uma mulher dizendo que está com dor de cabeça, um caixão vazio em pleno enterro... Que imagens seriam essas? Quem seriam aquelas pessoas?

O homem abre os olhos e está novamente deitado na cama. Ele ouve um choro de criança no pátio, um garoto clamando pelo pai, uma esposa atarefada correndo da cozinha para o quintal desesperada. Ele tenta levantar-se, mas seu corpo parece grudado na cama. A porta abre sozinha. Os barulhos param. Ele ouve gemidos no quarto ao lado, enquanto a mesma velha de antes aparece na porta, de cabeça baixa. O homem grita, mas não consegue se mover. Ele sente a mulher sentar-se sobre seu peito, tirando-lhe o fôlego. Tudo gira ao redor dele, enquanto seu corpo parece flutuar carregado por alguém. Sua cabeça choca-se contra a parede, e então o homem percebe que está sendo torturado pela velha desconhecida.

Ele está novamente na cama, assustado, mas dessa vez deitado contra a parede. Ele ouve a porta fechar-se no outro lado do quarto, mas continua sem conseguir mover um dedo. Passos lentos se aproximam. Ele sente uma mão flácida tapar-lhe os olhos e beijar-lhe a boca. Quando finalmente o homem consegue se desvencilhar, vê à sua frente a Dercy Gonçalves pelada.


Sensacional, dava até pra incluir a tradicional cena de sexo lésbico, com Hebe Camargo beijando a Dercy Gonçalves. Tá certo que é um curta-metragem, mas diz aí se você não se cagava.

Marcadores:


Poderizado por Blogger . Haloscan . HTML . CSS . RSS .